Samsung surpreende e anuncia o tablet Galaxy Note 10.1 edição 2014!

O tablet mais completo do mercado chega a sua segunda geração sem dever nada para ninguém, combinando o melhor hardware disponível hoje e com diversas melhorias e inovações em software que somente a linha Galaxy Note tem oferecido até então.

O Galaxy Note 10.1 Edição 2014 repete boa parte do design que vem sendo empregado nos tablets da Samsung desde o lançamento do Galaxy Note 8: dispositivos bastante finos, com botão físico e capacitivos. Na parte traseira a Samsung optou por utilizar acabamento em couro sintético invés do tradicional plástico.

A tela conta agora com uma resolução de 2560 × 1600 , alcançando assim o mesmo patamar do Nexus 10 (299 pixels por polegada), uma das maiores reivindicações da crítica especializada e também de usuários em geral. Outra boa novidade é a redução no peso do dispositivo, de 597g para 535g. A quantidade de RAM tambem impressiona, agora o modelo sai de fábrica com 3GB, o que reforça ainda mais a ideia de que se trata de um dispositivo especialmente pensado para a utilização em ambiente multitarefa.

Com relação ao SoC, irá depender se o modelo tem conectividade LTE  ou não. Caso tenha, o SoC será o Snapdragon 800 da Qualcomm a 2,3GHz , e caso não tenha, será o Exynos 5 Octa a 1,9 GHz.

Comparando com o modelo anterior

Galaxy Note 10.1 (2012)
Galaxy Note 10.1 Edição 2014
Tela 10,1 polegadas, 1280 x800 (149 píxels por polegada) , formato 16:10 10,1 polegadas , 2560 x 1600 (299 píxels por polegada) , formato 16:10 ,
Espessura 8,9mm 7,9mm
Peso 597g 535g
Processador (SoC) Exynos 4412 Quadcore a 1,4 GHz Exynos 5 Octa  a 1,9 GHz (wifi e wifi + 3G)
Snapdragon 800 a 2,3GHz (LTE)
Memória RAM 2 GB 3 GB
Sistema Operacional Android 4.1.2 (Jelly Bean) Android 4.3 (Jelly Bean)
Conectividade WiFi, bluetooth 4.0, GPS, DLNA, 3G, 4G, Infravermelho Wifi, bluetooth 4.0, GPS, DLNA, 3G, 4G, infravermelho
Expansão MicroSD (até 64GB) MicroSD (até 64GB)
Câmera frontal de 1,9MP;
traseira de 5 MP;
frontal de 2 MP;
traseira de 8 MP;
Armazenamento 16GB , 32GB , 64 GB 16GB, 32GB, 64GB
Bateria 7000mAh 8220mAh
Preço do modelo mais simples
Em torno de 1300 reais

Ainda não divulgado

N1_016_Dynamic2_white[1]

Software

A nova versão do Galaxy Note 10.1, além de vir embarcado com a versão mais atual do Android (4.3), apresenta muitas melhorias e novas soluções em software, destaco algumas:
– Remoção da barra de navegação (as funções presentes nela ficam a cargo dos botões capacitivos e do botão físico);
– A gaveta de apps com suporte para o multitelas agora é lateral, da mesma forma que ocorre com os demais dispositivos da linha Galaxy Note;
– A possibilidade de se ter aberto o mesmo aplicativo mais de uma vez na tela e ainda permitir que se arraste e solte o conteúdo de uma janela  para a outra;
- Air command: uma espécie de menu de contexto ativado quando a S Pen é removida do tablet ou quando o botão da caneta é pressionado durante o surgimento do ponteiro da caneta na tela (figura abaixo)

image
(imagem do Android Authority)

Pen Window: possibilidade de se abrir um aplicativo do tipo floating App (aqueles aplicativos que ficam sobrepostos) desenhando um  retângulo na tela. As dimensões desse retângulo serão as dimensões da janela desse floating app.

Preço e Disponibilidade

Por enquanto a Samsung ainda não divulgou nada nesse sentido. A minha aposta é que lá fora o preço de entrada para o modelo mais simples (16GB e apenas com wifi) fique na casa dos 499 dólares e no Brasil a minha aposta é que ele poderá ser encontrado entre 1500 e 1600 reais.

Meus dois centavos

Quando lançado em 2012 o Note 10.1 dividiu opiniões e foi, ao meu ver, claro, injustamente massacrado pela crítica especializada. Numa época em que já se falava em display com resolução full HD, a Samsung colocava no Note 10.1 uma tela que repetia a tecnologia empregada no ano anterior, a construção em plástico não agradava aos olhos e a aposta pesada na utilização do tablet com uma caneta era vista com  enorme desconfiança e até mesmo como  retrocesso. Pra mim isso apenas escancarava a falta de visão dos analistas com relação ao potencial de utilização do aparelho ou mesmo de um tablet.

Só que agora com o Galaxy Note 10.1 edição 2014 acredito que a história será diferente. A Samsung foi cirúrgica. Colocou a resolução de tela que todos queriam, diminuiu significativamente o peso do dispositivo, melhorou um pouco o visual do aparelho com a inclusão do couro sintético (achei que inclusive deixou o tablet com jeitão de livro ), melhorou o recurso multitelas e até mesmo resolveu uma grande limitação do Android ao possibilitar que se abram 2 janelas com o mesmo aplicativo.

Algumas questões, ao meu ver, ficaram em aberto. Pra mim não está claro se ainda há o comando para  Easy Clip, já que este me parece muito semelhante ao comando que agora habilita o Air Command.

Qual a autonomia de bateria? O Nexus 10 tem a mesma densidade de píxels (299 píxels por polegada), bateria com capacidade numericamente maior ( 9000 mAh contra 8220 mAh) e dura pouco mais de 8 horas no teste padronizado do Engadget. É uma relação de perde e ganha, já que no Nexus 10 o SoC está em arranjo A15, enquanto esse novo Note 10.1 tem ou 4 núcleos Krait (no caso do SoC da Qualcomm) ou um arranjo parecido com o big.LITTLE (Exynos 5 Octa, aquele que combina 4 núcleos A7 com 4 A15).
De resto, o tablet mais completo agora também é o mais perfeito.

Fico por aqui, inté a próxima!