Tablet Android chinês melhor que o Transformer Prime?

A poderosa fornecedora chinesa Huawei parece que decidiu agitar um pouco as coisas. Tablet Android chinês costuma ser famoso por desempenhos no máximo medíocres em função do foco quase que exclusivamente no preço. Dessa vez parece que não será o caso. O tablet Android em questão é o MediaPad 10 FHD , o qual sai de fábrica já rodando a versão última do Android (ICS) e já adianto que impressiona.  A tela tem nada mais nada menos que 226 píxels por polegada ( 1920 x 1200 ) e com tecnologia IPS. No coração do aparelho encontramos uma CPU quadcore de nome K3V2  , rodando a 1,5GHz cuja tecnologia é própria da  Huawei, já preparado inclusive para conexões 3G/4G LTE.

E agora o diferencial: a Huawei aposta num modelo com 2GB RAM. Se compararmos com o Transformer Prime, a Huawei ganharia tanto na tela quanto na RAM. A empresa alega ter desenvolvido um quadcore mais rápido que o Tegra 3, mas até  que isso possa ser comprovado, cada um diz o que quiser.

O Mediapad 10 FHD continua com um design fino (8,8 mm) e muito leve (598 g), o que o mantém bastante competitivo também neste quesito. Sai de fábrica com 2 câmeras (frontal de 1,3 MP e traseira com 8 MP), mas por aqui não se pode dizer muito até que efetivamente elas sejam utilizadas. Ainda que tanto no novo iPad quanto no próprio Transformer Prime as câmeras realmente sejam decentes, a regra geral em tablet é : câmera não presta. Aguardemos.

Uma boa limitação do MediaPad 10 FHD é quanto a sua capacidade de armazenamento. A Huawei anunciou apenas um modelo com 8GB de espaço. O consolo é que o tablet possui entrada para cartão microSD, e com isso poderá ter um incremento de até 32GB por meio deste.

É esperado que o modelo esteja disponível no mercado até junho deste ano, ainda sem preço sugerido.

Meus 2 centavos

A especificação técnica técnica é excelente. Não sei o peso negativo que a capacidade baixa de armazenamento poderá ter, frente à possibilidade de expandirmos a memória interna via microSD e também com as soluções de armazenamento em nuvem. Não me preocupo com o processador K3 da Huawei, pois ele não precisa necessariamente ser superior ao Tegra 3 para garantir uma experiência de uso formidável. Fico com o pé atrás com algo não mencionado pela empresa chinesa em seu press release: a bateria. Como o modelo promete uma densidade altíssima de píxels por polegada e o ecrâ é grande, a bateria mais do que nunca tem de ser decente para garantir a principal virtude do tablet: mantê-lo sempre a 2 segundos do estado pleno de operação. A título de curiosidade, os tablets Android de 10,1 polegadas  (1280 x 800) que rodam o Tegra 2 costumam ter bateria entre 6000 mAh e 7000 mAh, e com isso alcançam autonomias que variam de 7 a 10 horas.

 

 

 

Termos Procurados:

    melhor tablet chines,qual o melhor tablet chines,melhor tablet android,tablet chines,qual melhor tablet chines,qual é o melhor tablet chines,o melhor tablet chines